domingo, 20 de dezembro de 2009

Porque existem presentes e PRESENTES

Me recuso a começar mais um post com o clichê "...puxa, o tempo passou tão depressa e já estamos na penúltima semana do ano!".

Por isso vou apenas dizer que, sim, praticamente já é Natal, e as coisas típicas dessa época já estão acontecendo há dias... ruas lotadas, pessoas comprando coisas compulsivamente, reportagens e mais reportagens sobre presentes e cardápios para a Ceia, festinhas de final de ano nas firrrrmas, encontros nostálgicos com velhos amigos, etc, etc, etc...

Eu demorei um pouco pra entrar no clima, confesso. Quanto mais os anos vão passando, menos a gente curte, essa é a verdade, e só não esquecemos completamente da data porque o comércio tá aí nos lembrando do bom velhinho o tempo todo.

(...)

Ontem participei da "Corrida de Natal Corpore", uma prova festiva deliciosa, onde pude experimentar a sensação de "correr" (enganar, na verdade) acompanhada o tempo todo, já que os "Tigoto's" resolveram seguir o meu ritmo e experimentar a sensação de chegar em (quase) último lugar uma vez na vida. Foi uma farra. Das boas. Farra saudável, dessa vez. Porque eu também sou dessas. Pelo menos de vez em quando!

No final da noite rolou uma reuniãozinha da geração saúde no apê da mana atleta, com direito a "Amigo Secreto Ladrão", comidinhas e bebidinhas não alcoólicas. E pra quem acha que não, saibam que sou perfeitamente capaz de me divertir horrores bebendo goles de mais goles de coca-cola light. Juro. (até porque depois eu chego em casa e faço minha própria farra etílica comigo mesma, mas é melhor pular esse assunto porque já tem uma galera querendo me mandar pra Rehab. E por enquanto eu faço coro com a Amy: No, No, No!)

Sobre o "Amigo Secreto Ladrão", só o que posso dizer é que é um negócio que faz a gente ter a exata noção do quão velhos estamos. Porque assim, eu sou do tempo em que Amigo Secreto era aquela brincadeira de sortear alguém e dar um presente. Mas ao que tudo indica os tempos mudaram, e a moçada lá da vibe saúde explicou, explicou, explicou, desenhou até, mas mesmo assim eu não entendi patavina das regras. Brinquei, de qualquer maneira. E super me diverti. Porque, vocês sabem, eu sempre me divirto. Até quando a piada sou eu mesma.

(...)

Antes de vir embora, minha irmã-atleta Silvia e meu queridíssimo cunhado Laudo me deram um presente de Natal; presente não, PRESENTE, na verdade. Assim, em caixa alta.

Porque, como diz o título do post, existem presentes e PRESENTES. E quando a gente recebe um PRESENTE, entende o verdadeiro significado do gesto, entende até mesmo o significado do Natal.

O PRESENTE? Uma "marmita cultural", digamos assim. Sei lá, foi esse o nome que encontrei pra tentar explicar, mas acho que é muito, muito mais do que isso. Vejam vocês mesmos:



Quando uma pessoa gasta seu precioso tempo pra FAZER um presente com as próprias mãos, quando uma pessoa escolhe 100 músicas de amor e grava num CD personalizado pra você, quando uma pessoa escolhe 1 filme muito especial e também o grava em DVD pra você, quando uma pessoa encontra trechos de poemas e outras frases de muito significado e as escreve pra você, e aí a pessoa compra uma marmitinha, coloca tudo dentro, junto com docinhos que lembram a infância pra adoçar a vida, fotos de momentos marcantes do ano que tá terminando, e até mesmo um "Santinho Antonio", bem... então você entende que essa pessoa - essas pessoas, no caso - realmente SE IMPORTAM com você, e que dentro daquela marmita, muito mais do que coisinhas, tem muito, muito amor!

Um presente comprado tem o seu valor. Mas é apenas um presente comprado, pronto, feito, e existem muitos iguais a ele. Um presente feito com tanta delicadeza e capricho, com um conteúdo tão especial e personalizado, independentemente do seu valor material, é O PRESENTE.

Me sinto absolutamente privilegiada por ter sido digna de um gesto assim. Foi, sem dúvida, um dos melhores presentes que já ganhei na vida. E me trouxe, ainda que tardiamente, toda a emoção do tal "espírito de Natal".

Obrigada, irmã! Obrigada, cunhado!
AMO VOCÊS. Muito. MUITO.


" Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos se não fora
A mágica presença das estrelas! "

Mário Quintana
Utopias / Esperlho Mágico

6 comentários:

Arthur disse...

Que delicia poder receber esse tipo de presente e compartilhar realmente o que é o amor que não pode ser comprado nem encontrado em nenhuma megastore!
Beijo grande!

TatinhaZ disse...

Adorei o PRESENTE.... muuito legal... e, com certeza, vale muito mais....

Alessa Mesquita disse...

Oi querida, adorei seu presente. Meu ex-namorado era um cara que primava pelo "presente do coração", como ele mesmo dizia. Td bem dar um da loja, mas a gente sempre tinha q dar um presente especial um pro outro, akele feito a mão, do coração mesmo. E tinha um significado especial justamente pelo motivo que vc apontou: ser pensado somente pra vc!
Sobre o "clima do Natal" estar tão em baixa cada vez mais, é porque, penso eu, as pessoas estão desviando o foco praquele que é o verdadeiro motivo do Natal: Jesus. Aí a coisa toda toma um rumo vazio, esquisito, sem porque mesmo. Jesus é o motivo de tudo isso, comemoramos o nascimento dEle, mas as pessoas nem lembram mais disso. Digamos que "o dono da festa" nem aparece mais... Eu sou evangélica e acredito em Jesus como Salvador. O Natal tem que acontecer todo dia nas nossas vidas.
Te desejo um Natal especial, Flavinha, estou sempre orando por vc! Aliás, vc foi um lindo presente que Deus me concedeu esse ano. Espero que no ano que logo se iniciará, possamos estar mais perto!! Mil bjosS, hana!

Ariadne disse...

Muito legal este presente !!! Vc tem mais é que se sentir privilegiada de ter pessoas que te amam.
Beijocas !!!

Laudo Bonifácio Junior disse...

...sou suspeito prá falar do presente.....mas isento prá falar do seu post...gostoso de ler...fácl de se emocionar...beijos...

Mauricio disse...

Que beleza seu texto, Flávia!!

E o que vc escreveu sobre o presente que o Laudo/Sílvia nos deram demonstra mesmo o carinho, afeto, amor e amizade que eles demonstram e sentem pelos que os cercam.

Bjo
Maurício