quinta-feira, 5 de julho de 2007

Notas Sobre Um Escândalo


Acabei de assistir, neste minuto... e corri pra cá pra dizer em alto e bom som que este filme é FANTÁSTICO... ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL... TOP mesmo... muito, muito, muito, muuuuuuuito bom!!!
Eu já esperava muito de Notas Sobre um Escândalo... A crítica foi praticamente unânime na época do seu lançamento e nem podia ser diferente, porque sabemos que atrizes do quilate de Jude Dench e Cate Blanchett dificilmente fazem más escolhas... E, mesmo com toda a minha expectativa, ainda assim fiquei estupefata, e estou meio atordoada até agora...
Mas, chega de blábláblá... já deixei bem claro que o filme é excelente, então, vamos a um brevíssimo (vou tentar) resumo: Barbara Covett (Judi) é uma veterana professora de História no caótico mas rígido colégio inglês St. George; ela faz a linha "megera", é aquela professora que os alunos odeiam e que transmite através do seu simples olhar um verdadeiro desprezo por toda aquela "molecada rebelde sem futuro". Sheba Hart (Cate) é a novata professora de Artes, que já no primeiro dia de trabalho deixa todos os colegas professores meio zonzos com sua beleza e seu jeito "diferente" de ser. A princípio, imagina-se que Sheba é uma mulher feliz, que tem uma bela família feliz, enquanto Barbara é uma solteirona recalcada e amargurada. Mas nem tudo é como parece à primeira vista...
Sheba encontra seu ponto fraco no aluno de 15 anos com quem inicia um perigoso relacionamento, ao mesmo tempo em que se torna, mesmo sem perceber, a "melhor amiga" de Barbara, que quer na verdade muito mais que só sua amizade.
Barbara encontra seu ponto fraco na iminente possibilidade de "perder" Sheba, e ao descobrir o relacionamento dela com o aluno, não hesita em utilizar essa "informação" para manipular Sheba e conseguir aquilo que tanto quer, nem que pra isso precise fazer chantagens, nem que pra isso precise chegar às últimas consequências.
Além da estupenda dobradinha Judi Dench (indicada ao Oscar de melhor atriz) e Cate Blanchett (indicada ao Oscar de Atriz Coadjuvante), ambas fabulosas, impecáveis, impagáveis, há também um enorme mérito para o Roteiro (que concorreu à estatueta de Roteiro Adaptado), baseado do Livro homônimo da escritora inglesa Zöe Heller. Trata-se de um roteiro enxuto, inteligentíssimo, perspicaz, envolvente, daqueles que não te deixam piscar um único segundo do filme. A trilha sonora, também indicada ao Oscar, é perfeita... aquela "cerejinha sobre o bolo", que dá o toque de mestre a cada um dos pouco mais de 90 minutos da trama.
A princípio, pela sinopse, a gente logo pensa que Notas Sobre um Escândalo trata de pedofilia e segue por este caminho... Mas na verdade não é nada disso... é um drama pesadíssimo basicamente sobre solidão. Sobre solidão que se vive sozinho e solidão que se vive acompanhado. Sobre solidão que se pode expressar e solidão que se precisa esconder. Sobre a solidão e o que ela pode causar nas suas vítimas...
É também um filme sobre ciúme, sobre obsessão, sobre perder o controle e nunca mais recuperá-lo, e sobre uma coisa que eu sempre digo...
"Quando nos privamos de viver algumas experiências, seja na adolescência, na juventude ou depois, em qualquer momento da vida... mas quando nos privamos de certas coisas que no fundo queríamos fazer, que no fundo queríamos experimentar, mais cedo ou mais tarde
essa questão se faz premente... mais cedo ou mais tarde vem à tona o peso de ter sido a vida inteira muito "certinho", de ter seguido muito fielmente às regras impostas, e isso pode ser muito mais perturbador do que se imagina... Simplesmente por contrariar a natureza humana que muitas vezes tentamos esconder de nós mesmos..."
É isso... estou deslumbrada com o filme... realmente surpresa, e ainda muito atordoada... Acho que vou refazer minhas análises durante os próximos dias, pensar com calma sobre toda essa carga de informação emocional, e talvez até complemente o que estou escrevendo aqui depois...
De qualquer forma, entendi agora porque fiz mais de 10 viagens à Blockbuster pra conseguir pegar uma das mais de 20 cópias disponíveis do filme para locação (estão sempre todas locadas). Porque é um filmaço, porque Judi Dench transborda interpretação em cada vinco de sua face enrrugada, porque Cate Blanchet não tem apenas lindos e desconcertantes olhos azuis, e porque ambas são atrizes incríveis, em papéis incríveis, num roteiro incrível, culminando num filme incrível...
Insisto: NÃO DEIXE DE VER!!!
Boa Noite, e Boa Sorte!!!

Um comentário:

Pseudo Critico disse...

Olá... eu também fiquei estarrecido com esse filme... achei o cumulo não ter sido indicado a melhor filme, já que ele dá de dez a zero em "Babel" "Os infiltrados" e mesmo no "Pequena miss Sunshine"... "A rainha" eu adorei.... mas enfim, acehi teu texto sobre o filme ótimo... estou louco pra rever o filme... esse não é daqueles filmes pra ver uma vez e fim de papo... quero muito rever, reanalizar e talz...


Ah, também adoro "Ain't no mountain high enough"... huahaau, acho que essa música é uma constante nas comédias romanticas inglesas... hauhauhau.... adoro...

Tchau.... abraço....