quinta-feira, 24 de maio de 2012

Quando tudo vale a pena


Fiz este post agora há pouco lá no Facebook, 
mas ele é tão especial que merece ser compartilhado por aqui também. 
Eis:

""

Chego para pegar Zelão no curso de Teatro, e ele entra no carro bufando, vermelho de raiva:

O que aconteceu, filho?
_ Estou com raiva, mãe! Muita raiva!

Mas por que, o que houve?
_ Uns caras do ensino médio que tavam lá na cantina falando umas idiotices...

Como assim? Quem eram os caras? O que eles estavam falando? Mexeram com você? (mãe histérica mode on)
_ Não, mãe, relaxa... não era nada comigo. Eu só tava lá sentado lendo meu livro, e um cara começou a zuar com outro cara chamando ele de viadinho, bichinha, jogou salgadinho nele, fazendo bullyng, humilhando. Daí juntaram uns outros caras e todo mundo ficou zuando o outro, falando que bichinha tem mais é que se f****, que um dia ainda iam cobrir ele de porrada pra ele virar macho, essas coisas.

Nossa, filho, que horror...
_ É, mãe... eu fico com muita raiva porque eu ODEIO gente homofóbica, racista, gordofóbica, preconceituosa. Eu odeio essas coisas, eu odeio gente que faz bullying porque acha que é melhor do que os outros. Eu odeio isso tudo! Ninguém é melhor do que ninguém, todo mundo só é diferente!

(...)

Daí eu chego a ficar com os olhos marejados de tanta emoção e tanto orgulho. Porque, sabem? Eu vivo ouvindo críticas sobre a maneira como eu crio meu filho, mas é nessas horas que eu vejo que, apesar dos meus erros, eu tenho feito um bom trabalho, eu estou no caminho certo.

Zelão pode ser o que ele quiser na vida, porque o principal ele já é: Um grande cara. De um jeitinho ainda muito inocente, ele entende que nenhuma diferença torna ninguém melhor ou pior do que ninguém, e que o Respeito vem sempre acima de tudo.

E ele é assim porque eu sempre tive a preocupação de ensinar isso pra ele. Mais do que uma preocupação, eu sempre tive isso como um objetivo, porque eu realmente acredito que grandes mudanças na sociedade precisam ser iniciadas através dos pequenos, e que um grande ser humano precisa ter, antes de qualquer diploma ou bem material, grandeza de alma.

É como diz o velho ditado: A gente colhe o que planta. O mundo só será um lugar melhor, mais tolerante e melhor pra se viver, se as pessoas começarem a se preocupar menos com o modo de viver dos outros e mais com o que elas estão plantando.

Meu filho é essa fonte inesgotável de amor, generosidade, respeito, tolerância.

Aprendo muito com ele, o tempo todo...
E transbordo de tanto orgulho! =D

""

E é nessas horas que a gente vê que tudo, absolutamente TUDO, 
vale mesmo a pena!


<3<3<3

2 comentários:

Cris F Santana disse...

Zelão é o cara!
E você a mãe do cara.. :)

Mateus Medina disse...

E é pra ter muito orgulho mesmo =)

Não entra na minha cabeça como alguém "mal criado", com tão pouca idade, pode se posicionar de maneira tão direta e digna sobre um assunto assim.

Já experimentou perguntar aos apontadores de dedos o que seria uma boa criação? rsrsrsrs

Bjocas