quinta-feira, 11 de junho de 2009

O Técnico da TV a Cabo

Feriado de Corpus Christi, 10h00 da manhã, estou dormindo como um anjo quando sou acordada pela campainha que grita insistente. Penso em ignorar e continuar dormindo, mas aí me lembro da visita do Técnico da TV a Cabo agendada para hoje, e lembro também que eles deixaram bem claro ao telefone, quando abri o chamado, que se não houvesse ninguém na residência para recebê-lo a visita seria cobrada.

Levanto meio atordoada e grito um "já vou!" para o moço não ir embora, enquanto jogo uma água na cara e dou 2 escovadas nos dentes só pra amenizar a aparência e o bafo de quem acabou de acordar. Troco a blusa por algo menos indecente mas fico com a calça do pijama mesmo, não me parece tão ruim, e finalmente abro a porta me desculpando por tê-lo feito esperar. Ele entra, vai até o quarto do meu filho quando indico que é o aparelho de lá que está com problemas, e o diálogo começa:


_ Você tava dormindo, né? Ô, vida boa! Desculpaê por ter te acordado!
_ Err... humm... (roxa de vergonha e totamente sem graça) Sabe como é, né, Feriado, a gente tem que aproveitar pra colocar o sono em dia...;
_ Ué, mas cadê o filho?
(ele fica meio espantado quando vê a cama do meu filho vazia e arrumadinha, talvez imaginando que eu possa tê-lo trancado no armário para dormir até tarde ou qualquer coisa do tipo. Será?)
_ Ah... meu filho foi viajar com o pai, por isso perdi a noção da hora!
(big mistake, D.Farta, big mistake! controle essa sua língua da próxima vez! onde já se viu dizer para um estranho que está sozinha em casa? você enlouqueceu? não... não... só estava atordoada mesmo, tinha acabado de acordar de sopetão, saiu automaticamente)
_ Sei... e você vai ficar assim, sozinha em casa no feriado, não vai fazer nada, não vai sair, não vai curtir?
_ Oi?
_ É, ué... tá aí sozinha... ou tem alguém mais dormindo no outro quarto? (e dá uma risadinha maliciosa)
_ Oi?
(e devo ter feito uma cara muito muito feia, porque as feições do moço mudaram imediatamente e ele se jusitificou)
_ Calma... só tô brincando! É que você é bonita, e tudo, não imagino que vai querer ficar sozinha num feriado, mas só tava brincando!
_ Mas então, moço, qual é mesmo o problema do aparelho? Tem conserto?


Depois do meu corte o moço agilizou lá o serviço, resolveu o problema, testou o aparelho e estando tudo ok, sentou à mesa para preencher seus formulários, momento em que se sentiu confortável para começar outra conversa:


_ Mas então, você vê, enquanto o pessoal tá ai em casa descansando hoje, curtindo o feriadão, eu tô aqui na ralação...
_ Pois é... vocês não param nunca, né? Sempre estranho essa coisa de agendar visita técnica para feriados e domingos. (big mistake 2, jamais devia ter dado corda pra essa conversa)
_ Ah, mas são esses os dias que agente mais trabalha, porque é o dia que o pessoal tá em casa pra nos receber, e tal.
_ É... faz sentido...
_ Mas, vou te contar, você sabia que eu tinha outra profissão até 1 ano atrás?
_ É?
_ Eu era chef de cozinha no Hotel X...
(e, por alguma razão o moço achou que eu queria ouvir a história da vida dele...)
_ E depois que eu saí do restaurante, eu fui ser motorista de funerária... até autópsia eu ajudei a fazer... queria conhecer o outro lado da vida (sic!)
(eu fiquei muda, né, porque nem encontrei nada pra dizer não, mas o moço continuou...)
_ Teve dia de eu transportar mais de 50 defuntos, cê precisava ver que legal que era... Aprendi muita coisa nessa época...
(e eu continuava muda, apenas olhando fixamente para o formulário semipreenchido para tentar deixar bem clara a minha real preocupação - acabar logo com aquela conversa forçada)
_ Aí um dia eu tava num velório, mas o velório tava meio deprê, então dei uma escapadinha e fui visitar um amigo que morava perto do velório, e quando cheguei lá tinha um técnico instalando TV a Cabo na casa dele, aí eu comecei a trocar uma idéia com o cara perguntando como era esse trampo, e quando ele falou que era sussa, eu fiquei interessado, fui fazer um curso e agora trabalho aqui na região, sempre que você precisar de algum serviço técnico provavelmente eu que virei.
_ Errr... é? É mesmo?
_ É sim, eu já conheço quase todos os assinantes daqui da região, fiz muita amizade, tem lugar que eu vou que a pessoa faz comida, ou um lanche, ou me chama pra tomar uma cervejinha... o pessoal gosta de mim, sabe? É legal esse trampo, porque a gente fica assim, amigo mesmo das pessoas. Às vezes sou até convidado pra festa, pra balada... é mó barato!
_ Hummm... sei... é, é... legal...
_ Eu vou até deixar meu celular aqui anotado pra você, que quando tiver algum problema você pode ligar direto pra mim, às vezes é mais rápido do que ligar pra central... E, claro, pode me ligar também se quiser fazer qualquer outro tipo de convite, né? (e dá uma levantadinha nas sobrancelhas).
_ Bom, então tá tudo certo, né, moço? Já preencheu tudo aí, preciso assinar alguma coisa?
_ Ah, sim, tô terminando já... tá aqui, ó, dá seu autógrafo aí pra mim.


Assinei, levantei e já fui conduzindo o moço pra porta, ele me deu um aperto de mão e finalmente se despediu:


_ Falou então, Flavinha! (oi? Flavinha? da onde veio essa intimidade?) Vou nessa... passo aí qualquer hora pra tomar um café... E se você mudar de idéia e quiser curtir o feriado, pode me ligar, tá? Trabalho só até as 17h00, depois tô livre!
(e diante do meu olhar de espanto, ele emendou)
_ Calma! Tô só brincando! Ou não, né? Fui!



Quer dizer... tem coisa que realmente só acontece comigo.

9 comentários:

Tereza Jardim disse...

eu tô bolando de rir, hahaha!

mas e aí, vai ligar pro moço depois das cinco? hahahahaha!

Jacke Gense disse...

Minha nossa... esses homens são muitoooo caras de pau.. rsss

Depois dessa não deveria ter cobrado o conserto..rs

bjs
www.oquetemhoje.blogspot.com

Mary disse...

Oi Flavia..� assim mesmo, bastou falar q t� s�sinha em casa....rs....eita cara nada prosissional n� ? rs

Pat. disse...

Cheguei por aqui e hoje e gostei! Fiquei imaginando a situação... Putz! Tem cada figura solta no mundo...
Bj!

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk...e não é que só com vc mesma acontence???rs
Ah minha amiga seria cômico senão fosse o abuso do cidadão..
Mas enfim é o que mais tem por ai, gente cara de pau e abusado, mas tenho certeza que vc tirou de letra tudo isso e riu depois lembrando do que aconteceu..ou não?
Senti falta do seu perfil no orkut, afinal foi por la que nos encontramos, será que vamos nos perder novamente??
Espero que não amiga..
Bjs
Saudade
Aninha

Karla disse...

Oi lindona!

Fiquei um tempinho sem postar aqui né mas agora voltei! Vc que está em falta comigo mas está perdoada rsrsr. Menina q cara engraçado heim, muito cara de pau dele fala serio rsrs.

Bj

Carla disse...

Ninguém merece, Flavinha foi de mais!

Anônimo disse...

ridiculo é alguém atender um desconhecido por mais que em sua casa com calça de pijama , em um feriado, pois pode haver visita, mas você não é obrigada a agendar nos feriados e domingos , pois se existem babacas como você que acam que o resto do mundo não tem familia,ou aquele cliche de "não estudou", sou técnico e não estudei pois tive que trabalhar para não morrer de fome, existem babacas como você descreveu, mas existem babacas como você que dá abertura para estes babacas se sintam em casa não generalise,pois provavelmente a tv, a internet, o telefone, a energia eletrica, a água dos semideuses como vcs se sentem foram instalados por estes sem noção e existem muitas clientes que se jogam para técnicos.

Will... disse...

Eu já trabalhei como te´c em tv a cabo tbm, mais eu nunca tive essa coragem que ele teve e nem vontade tbm, sempre queria fazer o trabalho o mais rápido possível para poder sair da casa das pessoas o quanto antes, e sempre tive a sensação de estar incomodando, no entanto esse ai foi corajoso eim kkk me lembro de uma vez que estava MUITO CALOR e uma cliente insistiu para que eu tomasse banho na casa dela, claro que recusei, mais ela foi muito insistente, no entanto eu fiz oque tinha de fazer e sai, essas coisas não dão certo não, só havia 2 coisas que eu nunca recusava, caixinha e a voz do estomago na hora do almoço, ouve vezes em que se nao fosse o cliente eu passava fome... era difícil essa época!