segunda-feira, 25 de abril de 2011

O dia em que eu tentei ajudar um Poeta

Daí que no último dia 22/04, sexta-feira Santa, foi aniversário do papai. 61 anos, e assim a 3a. idade vai se sacramentando para o nosso velho, que continua estufando o peito pra dizer que tem corpinho e saúde de 19... Amém!

Como de costume, reunimos a nossa imensa família de 7 pessoas entre filhas e agregados (faltou a jornalista-celebridade-correspondente-internacional que estava na Espanha trabalhando, e o Zelão que estava passando o feriadão com o pai) para celebrar a data, dessa vez ao gosto do aniversariante: Numa pizzaria simplezinha - mas honestíssima - daqui das bandas da "favela onde nóis nasceu".

Quem nos conhece sabe que o fato de sermos apenas 7 não significa nem de longe uma celebração discreta, muito pelo contrário: é sempre aquele auê, todos falando ao mesmo tempo, os assuntos mais variados do planeta fluindo e emendando-se uns aos outros (a gente chama de hiperlinks que vão se abrindo sucessivamente) na velocidade da luz, debates exaltados, gargalhadas escandalosas, etc e tal... É o nosso jeitinho! ;-)

Lá pelas tantas, entre uma fatia de margherita e outra de portuguesa, discutíamos visceralmente algo sobre a origem do Universo, o nada absoluto, o Darwinismo e outras coisas do gênero (juro que estávamos todos bebendo apenas coca-cola zero!), quando um tiozinho cambaleante se aproximou da mesa e nos interrompeu:

"Boa Noite senhoras e senhores. Sou o Poeta Fulano de Tal, e estou aqui pra divulgar minha obra e pedir a ajuda de vocês!"

Enquanto esticávamos as mãos para pegar o exemplar mal acabado do livro de poemas do tiozinho insistente, éramos brindados com o agradável perfume do seu hálito de pinga fresca. Quase entramos em coma alcoólico por tabela, mas sobrevivemos. O Poeta Bebum nos deixou analisando seu livro e foi perturbar outra mesa.

Coincidência ou não, a primeira página que abrimos, aleatóriamente, tinha um poema de "dor de amor" que terminava com

"entristeci-me,
magoei-me,
embriaguei-me."

Deu pra sentir a vibe do poeta, né? Pois é...

Mesmo assim fiquei com dó do tiozinho... Queria ajudá-lo (mesmo sabendo que a ajuda seria apenas para a próxima dose de cachaça), e quando ele voltou e todos devolveram os livros com ar de desdém eu segurei o meu e perguntei o preço.

"Dérreaus, e de brinde você leva esse CD gravado por mim com músicas do Julio Iglesias, Roberto Carlos, etc.", disse o tiozinho.

Saquei os Dérreaus do bolso, concretizei a compra e imediatamente entreguei aquela obra prima ao papai com os votos de "Feliz Aniversário":

"Meu presente para o senhor, pai!", eu disse, segurando a gargalhada iminente. "Tem até músicas do Julio Iglesias! O Senhor vai gostar!". Todos riram, mas os risos foram logo interrompidos pelo Poeta Bebum, indignado:

"Mas na mesa inteira vocês vão comprar SÓ UM?"

"Ah, somos todos da mesma família, vamos compartilhar, moço!", eu disse, idiotamente.

"Quer dizer então que vocês vão plagiar (sic!) os meus direitos autorais?", disse o tiozinho, com o tom de voz mais bravo que conseguiu.

Neste momento todos na mesa olhavam curiosos pra mim, meio que desacreditando naquele diálogo, e meio que ansiosos por verem onde é que aquilo ia parar. E eu, ao invés de calar o meu bocão ou dar um fora no Bebum, ainda tentei argumentar que não, ninguém ia plagiar nada, íamos ler o livro um de cada vez, e tal...

E então o Poeta Bebum enfiou os Dérreaus que eu dei pra ele no bolso e saiu cambaleando e resmungando algo sobre os seus direitos autorais, plágio, gente mão-de-vaca, etc...

Eu e minha cara de tacho voltamos à mesa, e rapidamente tentei recuperar o fio da meada da conversa sobre a Teoria da Evolução, porque, né?

Quem manda ser besta e querer ajudar um velho bebum a comprar a próxima dose de pinga???

Porque diante da indiganção do Poeta, é certeza que ele tá pagando os royalties do Julio Iglesias, do Roberto Carlos, etc e tal... CERTEZA!

Tome, Dona Farta! Tome! Morreu em Dérreaus e ainda levou toco do tiozinho bêbado!

It's my life! =/


FIM.

3 comentários:

Laudo Bonifácio Junior disse...

É....pagando de alma boa de setsuan....ajudando a todos....

Mas o poeta é consciente...toma umas porque era sexta feira, o dia internacional do "me deixa que hoje eu tô de bobeira"... e recolhe sim, o direito autoral de todos os músicos que estão em seu cd, que aliás, tem os poemas do livro recitados por nada mais nada menos que o próprio...

Valeu a noite...ver você tomando uma geral do grande poeta da periferia.

Mas não perca a esperança na humanidade...e mantenha sempre ete seu coração bom e aberto.

Roberta Quintella disse...

kkkkkkkkkkkkk era melhor ter ficado só na diferença entre o sapato e o tênis..... Levar coío do poeta manguaça, é muto duro.

Marcelo disse...

hahahaha
é por isso que eu digo: pense bem antes de ajudar os outros.
Quase sempre que tentamos ajudar alguém acabamos "levando na cabeça".
Mas dessa vez foi engraçado, valeu os dez reaus hua hua hua
Só a Dona Farta mesmo pra levar toco dessa maneira.