sexta-feira, 1 de maio de 2009

Só Eu e Eu

Gostaria de ser breve, até porque ando com um pouco de medo do poder das palavras nestes dias... O duro é eu conseguir ser breve, mas vamos lá.

Que eu não estou numa fase boa, acho que já ficou bem claro... E acho também que já falei bastante a respeito, e que vocês talvez estejam de saco cheio dessa lenga lenga (eu estou).

O que está acontecendo? Bem... muita coisa. Mas eu prefiro não entrar em detalhes, primeiro porque taí uma coisa que eu não sei fazer - me abrir (nem mesmo com as pessoas mais próximas), e segundo porque não acho que tenha alguma utilidade falar sobre as minhas mazelas abertamente, não vejo razão para torturar as pessoas com isso. Todos temos problemas e cada um lida com eles de uma maneira diferente.

Mas eu preciso dizer que, por motivos óbvios, posso estar relativamente alterada neste período. Alterada no sentido de me comportar de maneira diferente e de eventualmente não querer fazer coisas que habitualmente eu faria.

Em português claro, eu queria uma caverna. Não estou sendo dramática e dizendo que queria viver pra sempre por lá, mas seria bom passar uns dias num local isolado e longe de tudo, onde eu não precisasse interagir, onde eu não precisasse fazer nada exceto pensar, refletir, analisar a minha vida, e criar forças para fazer o que é preciso. Um pouco de paz seria perfeito.

Sim, cavernas existem, mas eu não posso ir pra lá. O mais próximo que posso chegar deste ideal é ficar em casa quieta no meu canto, e eu acho que é um direito que toda pessoa deve ter, afinal. Não tem nada a ver com depressão, para os apressadinhos que já saem fazendo análises. Tem apenas a ver com uma necessidade pessoal de ficar exclusivamente em companhia de mim mesma, de isolar ao máximo possível as interferências externas para conseguir ter a segurança que eu preciso ter para seguir adiante.

Conversar não resolve, não pra mim. Como já disse, tenho muita dificuldade de falar sobre questões pessoais, mesmo com amigos e familiares. Não me sinto à vontade, e esse não é o tipo de coisa que funciona se você forçar. Sei que pode parecer estranho porque aqui no Blog eu vivo contando tudo que acontece comigo, mas esta questão especificamente é diferente.

Quis escrever tudo isso aqui porque sei que não estou nos meus melhores dias (acreditem, nem eu mesma tenho conseguido ME suportar). É por isso que prefiro poupar as pessoas, mantendo uma certa distância. Não tenho sido boa amiga, boa ouvinte, boa companhia. E por melhor boa vontade que qualquer um tenha em me ouvir e oferecer um ombro amigo neste momento - pelo que serei eternamente grata - ainda assim, prefiro ficar apenas comigo mesma.

Me conheço suficientemente bem para saber que é só disso que eu preciso - um tempo. Sem perguntas, sem forçação de barra, sem pressão. Todas as respostas que eu busco estão em mim. Toda a força que eu preciso também está aqui. Por alguma razão as coisas em meu interior estão meio bagunçadas, e é só a reclusão que vai me ajudar a reorganizar a casa. É assim que tem que ser.

Mantenho uma comunicação com o mundo através da internet porque de alguma forma isso me faz sentir viva, é a minha conexão com o mundo real, e é a forma através qual me sinto segura, já que não posso ser confrontada e não preciso responder aquilo que não quiser responder. E também porque entre uma distração e outra nos sites, blogs, orkuts e twitters da vida, muitas questões relevantes acabam brotando: uma música aqui, um texto ali, uma frase acolá... algumas coisas podem fazer muito mais sentido do que seus autores poderiam supor.

Quero terminar este post dizendo a todas as pessoas que são importantes na minha vida (e cada uma sabe que é) que eu posso não estar vivendo meus melhores dias, mas isso não significa que meus sentimentos tenham mudado. Apenas não tenho sido uma boa amiga, e por isso prefiro manter uma distância (saudável pra todo mundo, acreditem), o que significa não sair junto, não telefonar, não encontrar, e não querer fazer qualquer coisa que implique conviver.

Mas vai passar - em 1 semana, 1 mês, 1 ano, não sei... só o que sei é que quando passar - vocês me conhecem! - serei a primeira a agitar jantares, e cafés, e conversas, e reuniões. Quando passar, tudo será novo de novo, e teremos o resto da vida pra curtir tudo que ela nos reservar.


Por enquanto, me desculpem por qualquer coisa.

8 comentários:

Anonima Fragmentada disse...

Fla, sei bem o que é esse momento... É tipo a metamorfose da borboletinha sabe? Depois de sair do seu casulo, vc vai se surpreender com a cor das suas asas, e mesmo não querendo voar, vai "poder" voar.
A vida é foda amiga... Cada dia é uma coisa, e tem coisas que derrubam mesmo, eu mesma to toda roxa já... rs...
Amo vc linda, mantenha seu lado espiritual, procure não se judiar muito, e lembre-se que se precisar de alguem pra qq coisa, alguém que nunca irá te julgar, criticar, ou bancar a sabe tudo, pq é outra fudida, pode contar comigo viu? Amo vc linda...
Bia - ( das fotinhas )

Sissi disse...

Esteja bem, isso é o que mais importa! Beijos e estou aqui!

Anônimo disse...

Sei la o que há mas me senti tentada a te escrever, me deu uma melancolia tb saber que vc está assim, uma tristeza grande, estava deitada e nao consegui dormir, por acaso resolvi te ler aqui ver se me animava ou ria de algo inusitado..mas foi o contrario!
Amiga mesmo longe meu coraçao esta muito proximo de vc e se aconteceu o que eu estou pensando(espero que nao) quero que saiba que somos fortes, guerreiras e sabemos dar a volta por cima e nos levantar (vc sabe muito bem de uma boa parte da minha vida e me ajudou muito), talvez seja por sermos tão fortes e guerreiras sempre nos identificamos muito e tivemos uma boa e grande amizade, se essa for a hora de eu te retribuir toda força que me deu qdo mais precisei nao exite em me chamar estou aqui sempre..
Fique em paz..tenha serenidade e logo estará de volta como a Fenix!
Te amo!
bjs
Aninha

Anônimo disse...

Pois é... a vida é realmente cheia de altos e baixos!
Mas essa é toda beleza da vida.
Nos baixos também temos a oprtunidade de lapidar a pedra preciosa que somos.
Por isso, reflita. Mergulhe fundo dentro do seu verdadeiro EU.
Reavalie sua vida em um contexto geral.
Trabalho, "amizades", valores.
Feliz daquele que sabe reconhecer o momento de fazer uma pausa.
PARABÉNS!

kely disse...

Flá...estarei aqui te esperando tá...nem que essa fase dura 1 semana, 1 mes ou 1 ano hehehe.
bjão

Tina disse...

Minha amiga querida!!!!
Li o seu blog e não tem como eu não ficar querendo te ajudar, gosto muito de você e quero te ver bem! Olha, espero que o "seu" tempo não demore muito pra passar, sinto muita falta dos seus suuuper recadinhos sempre muito animados,
Te adoro viu?
Bjo gde

Carla disse...

Nao vou ficar aqui falando como vc deve agir ou pensar, afinal, essa é uma coisa que apenas vc sabe nesse momento...a única coisa que quero que vc nao se esqueça é que pode contar sempre que precisar, a qualquer hr, pois para pessoas que queremos o bem e amamos sempre temos um minuto, para ouvir, para confortar, para aconselhar...T adoro viu Fla...to por aqui, Bjao, Ca.

Mary disse...

Oi minha queridinha, tenho sentido muita falta de vc ,assim q vc saiu eu percebi pq to sempre lendo seu blog e continuo lendon pq vc escreve taum bien q só por ali eu já sei si vc ta bien ou naum., queri te dizer q eu naum sabia q te gostava tanto, q te gosto pra valer tá, nunca se esqueça de mim, torço por vc e a gente taí nos twitters etc né, enfim seja onde for eu te acho pq sinto necessidade de te "ler" rs te amo muito querida Flavia !!!! bjs