segunda-feira, 18 de agosto de 2008

O Maior Amor - Amor de Mãe

Uma pergunta:

Quantas formas de Amor existem? Quantos tipos de Amor? Quantos jeitos de Amar?
Ao longo do tempo a humanidade tem buscado incessantemente formas de expressar, descrever, demonstrar, materializar o Amor, seja através de textos, poemas, músicas, obras de arte, gestos, seja como for... Mas o fato é que a subjetividade deste sentimento e o poder que ele exerce sobre uma pessoa são tão mais fortes que nem o mais belo poema de todos os tempos, nem a mais bela canção, nem o mais nobre gesto são capazes de traduzir integralmente O Que É O Amor.

Não importa, porque todo ser humano tem a capacidade de identificar o Amor, a capacidade de Amar e ser Amado, de modo que uma explicação mais detalhada acaba sendo desnecessária quando nos vemos arrebatados por este sentimento que é simplesmente-tudo-isso: Amor.

Voltemos então à pergunta inicial, mais precisamente esse trecho: "Quantos TIPOS de Amor existem?"

Bem. Cheguei ao ponto crucial que quero abordar hoje: Os TIPOS de Amor, e pra mim eles são 2:

Existe o Amor de Mãe, que é o Maior Amor.


E existem todos os outros Amores, que podem ser fortes, intensos, sublimes, genuínos, arrebatadores, etc, etc, etc, etc... Mas JAMAIS serão Amor de Mãe, simplesmente porque não há nem como comparar, não há equivalência, não há substituição, não há nada que se compare ao Maior Amor do Mundo.

Cheguei a essa conclusão analisando tudo o que sei sobre o Amor, provavelmente muito pouco diante de alguns experts, mas o bastante para me deixar convicta do que estou falando.

Ninguém no mundo tem maior capacidade de Amar do que uma Mãe. NINGUÉM. Nem o pai, nem o filho, nem o irmão, nem os amigos, nem o companheiro, nem a melhor pessoa do mundo, nenhuma delas vai te amar mais do que a sua mãe te ama.

O Amor de Mãe é exclusivo, só as mães são capazes de desenvolvê-lo. Honestamente não tenho a mínima idéia de qual seja a explicação lógica pra isso, simplesmente sei que é assim.

Tudo começa na gravidez. Só uma mãe é capaz de carregar o filho no próprio ventre durante 9 meses, sofrer modificações bruscas em seu corpo (algumas irreversíveis), e amar incondicionalmente o responsável por essa avalanche de mudanças - o filho - desde o primeiro minuto, desde a concepção, sem ao menos saber como ele vai ser, se vai ser perfeito ou imperfeito, feio ou bonito, saudável ou doente, menino ou menina, se será uma pessoa de bem ou não.

A partir daí, não há mais limites para o Amor de Mãe. Existem coisas (e muitas coisas) que só uma mãe é capaz de fazer por um filho, e eu nem tenho como descrevê-las porque, bem, são coisas demais. Acredite em mim.

E esse amor incondicional de mãe não é uma exclusividade dos seres humanos. No mundo animal também é assim. As fêmeas matam por seus filhotes, lutam por eles, priorizam sua proteção, sua nutrição, seu desenvolvimento saudável, mesmo que isso lhes custe a própria vida.

Só uma mãe é capaz de morrer e matar pelo filho. Seja ela uma mulher, uma leoa, uma macaca, uma elefoa, uma tigresa, seja ela o animal que for. Se for mãe, é capaz de tudo - absolutamente tudo - em nome da sua cria.


Nem sempre nos damos conta disso, porque a gente já nasce sob a proteção desse Amor Maior, vivemos acostumados a recebê-lo todos os dias, a cada minuto, e às vezes não conseguimos sequer enxergá-lo. Agimos como se esse Amor nem existisse, e muitas vezes não o compreendemos, porque ele não vem sempre sob a forma óbvia do afago, às vezes vem sob a forma de uma bronca, uma proibição, um castigo. Mas é sempre Amor, sempre o Maior Amor, aquele que você vai receber na vida exclusivamente de uma única pessoa - sua mãe (biológica ou não, aliás), e de ninguém mais.

Claro, eu mesma tive na vida diversos momentos em que duvidei que tantas atitudes fossem apenas Amor. Quando adolescente, principalmente, tive lá minhas diferenças e algumas brigas com a minha mãe, momentos em que a revolta me dominava e eu chegava a pensar que ela me odiasse por me proibir de tantas coisas, por me impor tantas outras, por me repreender, por me criticar.

Mas o Maior Amor do Mundo é tão maior que qualquer outro que minha mãe - assim como qualquer mãe faria - continuou me amando mais e mais e mais, apesar de toda a minha rebeldia, e nunca desistiu de mim. Ela sempre estava lá pra me proteger, pra me amparar, pra cuidar de mim. Ela sempre estava lá, exausta, cansada, chateada, ferida, mas SEMPRE estava lá. Eu às vezes não merecia, mas ela continuava lá, numa devoção que só as mães são capazes de ter.

Sei que ninguém me pediu conselho e nem é esse o meu objetivo aqui, mas acredite em mim: Existem coisas (muitas coisas) que SÓ SUA MÃE FARIA POR VOCÊ.

Você pode ter o melhor marido/esposa do mundo, o mais apaixonado namorado/namorada, o mais incrível companheiro/companheira, e o Amor desta pessoa por você pode ser o mais sincero e puro do Mundo, que ainda assim essa pessoa jamais será capaz de fazer por você coisas que SÓ SUA MÃE FARIA.

Você pode ter o melhor Pai do mundo, os melhores irmãos do mundo, a família mais perfeita do universo, mas nenhuma dessas pessoas, mesmo te amando com todas as forças que possuírem, serão capazes de fazer por você coisas que SÓ SUA MÃE FARIA.

Você pode ter os amigos mais incríveis do mundo, conhecer as pessoas mais generosas da face da terra, ter relações de muito amor e carinho com as pessoas que fazem parte da sua vida, mas nenhuma dessas pessoas jamais será capaz de fazer por você coisas que SÓ SUA MÃE FARIA.

Se eu sempre soube disso? Não, claro que não. Sou humana e, como já falei acima, tive meus momentos difíceis com a minha mãe, nem sempre compreendi a forma que ela tinha de me transmitir o Maior Amor, e isso gerou algum atrito durante alguns anos. Mas, Bendita seja a Maturidade!, tive tempo de enxergar a realidade do Amor Incondicional, compreendê-lo e tentar, modestamente, retribuir um milésimo de tudo o que ela fez por mim.


Só que o tempo foi curto, porque os Céus a chamaram pra transmitir sua sabedoria por lá, e me dói muito pensar que talvez eu não tenha conseguido demonstrar pra ela todo o amor que eu sentia, toda a minha gratidão, toda a minha devoção, e todo o meu arrependimento pelos momentos em que eu deixei de agir como ela merecia, como uma boa filha, como uma boa pessoa.

Há 2 anos, 10 meses e 27 dias ela se foi. E há 2 anos, 10 meses e 27 dias eu vivo incompleta, ou melhor, eu sobrevivo. Ningúem pode ter idéia da falta que o Maior Amor do Mundo faz até perdê-lo. As mães deveriam ser imortais.

Sim, minha mãe é imortal no meu coração, mas o meu egoísmo mundano me impede de ficar satisfeita com isso. Eu queria ela aqui, do meu lado, pra brigar comigo, pra me dar bronca, pra me criticar, pra me deixar irritada, pra bater papo comigo, pra cuidar de mim, pra chorar comigo e pra rir comigo, e pra celebrar comigo.

Se ela estivesse aqui, hoje teria festa. Dia 18/08/08, dia em que minha mãe completaria 52 anos. Estaria no auge da sua maturidade, jovem ainda, cheia de planos, cheia de sonhos, cheia de expectativas. Mas ela partiu sem nem chegar à marca dos 50, não viveu nem meio século, e a data de hoje pra mim é apenas tristeza, apenas saudade, apenas dor.

Como diz minha irmã, "Felizes são os Anjos que podem celebrar com ela lá no Céu!"

Escrevi este post como forma de expressar a minha emoção nesta data difícil, como forma de homenagear minha querida mãezinha e dizer pra ela que serei eternamente grata por ter recebido O Maior Amor do Mundo, por ter sido digna de ser filha dela, e pra dizer que dedicarei todos os dias que me restam de vida pra tentar retribuir tudo que ela sempre fez por mim, procurando ser uma mulher forte como ela me ensinou, procurando orgulhá-la com minhas atitudes e conquistas e, principalmente, dedicarei todos os dias de vida que me restam para tentar ser para o meu filho uma mãe tão incrível como minha mãe foi pra mim. Se eu conseguir chegar 1 milésimo perto disso, já serei uma grande mãe!

E finalmente, escrevi esse post também pra dizer a você que conseguiu me ler até aqui:

Faça pela sua mãe TUDO que você puder HOJE, AGORA, JÁ! Não espere, não protele, não meça esforços, não deixe para depois. Se a magoou peça desculpas, se ela te pediu algo e você disse não, reconsidere, mesmo que não te agrade muito, faça um capricho dela, demonstre o quanto ela é mais importante do que qualquer outra coisa, diga que a Ama (mas não fique só nas palavras, demonstre com atitudes também), leve-a pra passear, fique um domingo inteirinho com ela, nem que seja pra assistirem TV juntas, ligue pra ela todos os dias, mais de uma vez se possível, realize um sonho dela, acompanhe-a ao médico, leve-a a um show de um artista que ela goste, mesmo que você odeie, mas viva essa emoção com ela, faça com que ela se sinta importante, faça com que ela se sinta a estrela da sua vida sempre que puder.
Lembre-se sempre que ela tem o direito de ser implicante, ter manias, ser cri-cri, ser exigente. Ela já viveu muito mais do que você, já passou por coisas que você nem sabe, já aguentou todas as suas chatices e manias desde a infância até hoje, fez tudo o que pôde pra te dar o que você queria sem pedir nada em troca, e nem por isso deixou de te amar incondicionalmente. Você também vai estar mais velho(a) daqui a uns anos, e provavelmente ficará feliz se seus próprios filhos forem mais tolerantes com você.
Sõ não esqueça de fazer tudo o que puder por Ela agora, enquanto ela está aí do seu lado, saudável, inteira, com todos os defeitos que ela tem e todas as muito mais numerosas virtudes, porque Ela é a pessoa que mais te ama nesse mundo, é a única capaz de te amar dessa forma, com essa intensidade, e no dia que ela partir pelo menos restarão pra você as lembranças doces de uma vida que valeu à pena, tanto pra você como pra ela.

FELIZ ANIVERSÁRIO, MÃE!
TE AMO PRA SEMPRE,
MINHA ESTRELA.

5 comentários:

Anônimo disse...

Minha amigona!!!!

Sei muito bem o sentimento que você sente e sei tbém que não há palavras e ninguém que consiga nos fazer deixar de sentir essa dor....
bjos e força sempre ( pra nós...)

Fernanda Perrú disse...

ô Flavinha... sei o que vc sente de perto, infelizmente.
ela está lá de cima te olhando e cuidando de vc!
bjks

Marisa Pimenta disse...

Antes de mais nada, obrigada pelas palavras carinhosas no meu blog no post do meu pai. Realmente foi a melhor coisa q me aconteceu na vida, mas mtos perguntam e a mãe? Porém a mãe biológica morreu no meu parto e a q me criou, sim, foi tb maravilhosa e devo minha vida à ela pelos cuidados q teve comigo. Amei sua palavras sobre o amor de mãe. Sou mãe de três filhas e sinto um orgulho delas q vc nem imagina. Sou mãe vinte e quatro horas, apesar de uma estar casada, a outra morar sozinha e, só uma morar comigo. O q conta não é a proximidade, e sim, o amor incondicional q tenho p dar e q recebo das três.
Parabéns pelo seu texto e apareça sempre. Conheça tb meu blog acessoriosdamarisa.blogspot.com e vc vai conhecer o outro lado da mãe.Visite tb os blogs das filhas pepperinfashion.blogspot.com e blogandoarte.blogspot.com. A q mora comigo não tem mais blog., apesar de ser jornalista. Bem, já escrevi mto. Te espero sempre. Bjks

Karla disse...

Amiga,

Tive que chorar com suas palavras amiga. Sei muito bem como vc se sente pq tb sinto isso dentro de mim, mãe é uma só e nada e ninguém pode substituir uma pessoa tão maravilhosa.
É amiga, somos guerreiras nessa vida, mesmo vc já tendo um filho vc sente falta dela mas seja forte e sinta-se abraçada por mim tá?
Agora Deus está com elas tanto a minha quanto a sua e pode crer q elas estão olhando por nós.

Beijos no seu coração!

Blog da Vurica disse...

Xará, eu estou pasma!!!!!
estava aqui eu lendo seus posts e dou de cara com uma data 18/08...se não é pura e simplesmente o "niver da minha mãe"cara além do nome, tb temos esta coincidencia de mães, lógico que não saberei o tamanho de sua saudade, mas saiba que saberei o que é o amor recebido por estas estrelas maravilhosas, e saiba que não vai substituir jamais, mas eu empresto o colo da minha se vc precisar um dia viu, bjssssss