quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Jantar a seis

Eu tô morreeeeeeeeeennnndooooooo de saudade do meu filhote... ele foi para o Acampamento no sábado, e a casa tá um vazio só... Mas falei com ele por telefone, ele tá se divertindo muito, e é isso que importa... daqui a pouco ele tá de volta!

Por outro lado, essa semaninha "sem filho" tá uma delícia pra nós... Estamos conseguindo fazer vários programinhas que normalmente não conseguimos fazer por conta do Lucas, e é muito bom poder curtir um tempinho a dois, seja fazendo coisas simples ou programas mais elaborados...

Fomos segunda-feira ao cinema ver "Meu nome não é Johnny", depois jantamos num lugarzinho gostoso, e ontem saímos novamente para jantar, mas dessa vez foi um "jantar a seis"...

Na verdade, três casais: Eu e o Odylo, a Cátia e o Marcelo, e a Silvia e o Júnior. "Enfiamos o pé na jaca" num rodízio de sushi ali em Perdizes, e foi uma noite agradabilíssima...

Eu amo demais da conta as minhas irmãs... ADORO estar com elas, conversar, dividir momentos legais... elas são as mulheres mais importantes da minha vida... E como sou "sortuda", tenho também cunhados adoráveis, pessoas super especiais que tornam a nossa família ímpar.

Ficamos lá no restaurante até quase meia-noite... muito sushi, sashimi, conversa boa, conversa engraçada... Demos altas risadas, falamos bobagem, combinamos outros programas, e enchemos a pança de peixe crú...

E sabe o que é mais legal? É o espírito do "fazer ser legal" que todos nós temos... O Odylo e o Júnior, por exemplo... não são muito fãs de comida japonesa, o Odylo especificamente até um tempo atrás nem chegava perto, e agora já está mais acostumado, já experimenta, gosta, e experimenta de novo... O Júnior, idem! Eles até já podem ser considerados "habilidosos" no hashi... tudo pela boa vontade de curtir, de experimentar coisas novas, e de fazer a vontade da mulherada doida pelo "japonês".

E depois de um jantar impecável, a noite terminou com muita emoção pra mim... Estávamos nos despedindo na saída do restaurante quando o novo cunhado Júnior disse que tinha um presente pra nós... Eu não sou muito boa em "receber" presentes, embora adore... Fico meio sem graça, sei lá...

Bom, ganhamos uma dupla de canecas super bacanas, duas raquetes e bolinhas de frescobol... Presente no mínimo "curioso", né???

Massssssss... junto, veio uma carta, uma carta que "explicava" o motivo do lance do frescobol, e posso dizer que fazia muito tempo que eu não lia algo tão lindo... Até chorei quando li, já no carro, vindo embora...

Cartinha de várias páginas escrita à mão, pra não ser algo "impessoal", como o próprio presentador nos disse... Cartinha linda, especial, inspiradíssima!

Ameeeeeeeeeeiiiiiiii... Fiquei tão feliz... É tão bom quando as pessoas enxergam a gente de um jeito positivo, de um jeito especial... É tão bom se sentir especial...

E é tão bom encontrar pessoas que valorizam a expressão do sentimentos, sabe? A gente vive hoje em dia num mundo muito materialista, objetivo demais, grosseiro demais, insensível demais...

Esquecemos o valor e a importância das palavras, das demonstrações de carinho, de admiração... Hoje em dia é tudo muito prático, email pra cá, email pra lá, cartão eletrônico de aniversário, de Natal, cumprimentos virtuais, abraços virtuais, beijos virtuais... com um "copiar e colar", manda-se a mesma mensagem pra várias pessoas, a mesma mensagem vazia, fria, que pode até ser sincera, mas é impessoal demais, como disse o Júnior... tudo escrito com abreviaturas e em poucas linhas pra que não se "perca tempo"... E com isso perdemos tempo de viver momentos simples, perdemos a oportunidade de apreciar a beleza das coisas simples, dos pequenos gestos...

Há quanto tempo você não escreve ou recebe uma carta escrita à mão? Eu mesma, nem me lembro quando foi a última vez que recebi uma carta como nos velhos tempos... De vez em quando até escrevo, escrevo para o meu filho, escrevo cartões feitos à mão, mas o mundo é tão voraz que quase ninguém mais valoriza esses pequenos gestos...

Foi por tudo isso que fiquei tão emocionada com as palavras do meu cunhado... Ele perdeu lá o tempo dele pra escrever à mão um texto super bonito pra nós, uma demonstração sincera de carinho, respeito, admiração... Foi lindo!

E inspirou muito o nosso fim de noite - agora a dois - tanto que resolvemos até ir "jogar frescobol" em outro ambiente, e demos uma esticadinha pra passar a noite fora...

Muito obrigada, Júnior! Muito obrigada, Silvia, Cátia e Marcelo... Vocês são imprescindíveis na nossa vida, nós amamos muito vocês!

2 comentários:

Vanessa disse...

Ai que delícia tanta comidinha japonesa.
Eu gosto bastante, só não tenho o hábito, precisaria preservá-lo pq é tão saudável...fora que é muuuuuito gostoso.
Flavinha obrigada pelas palavras "apaixonadas" no meu bloguinho, nós adoramos vc e o Odylo tb, vcs se tornaram pessoas especialíssimas em nossas vidas e tem cadeira cativa em nossos corações.
To morrendo de saudades viu?
beijos carinhos da Van

Fê, a noiva neurótica! disse...

aaaaaaaahn........ agora entendi quem escreveeeeu

ADOREI o presente... deve ser um cara pra lá de sensível! :)

vc esta sentimentaaaal auhuhauhahaua adoro isso!

saudades dos mil e-mails!
bbbbjo!


www.anoivaneurotica.blogspot.com